Arquivo pessoal Jean-Claude Bernardet

Repleto de documentos imprescindíveis para a compreensão da trajetória do cinema e da cultura nacionais, o Arquivo Jean-Claude Bernardet, doado pelo titular em março de 1988, conta com cerca de 5.500 itens que abragem o período de 1939 a 2014. Desde sua chegada à Cinemateca Brasileira, o fundo passou por diversos tratamentos, e atualmente está em processo de reclassificação de acordo com os princípios arquivísticos. Cerca de 2.500 documentos foram higienizados e reacondicionados em embalagens específicas para preservação. Desses, 1974 são itens que compõe a série Correspondências, na qual estão presentes diálogos entre Jean-Claude Bernardet e Gustavo Dahl, Glauber Rocha, Trigueirinho Neto, João Silvério Trevisan, João Luís Vieira, Ismail Xavier, Robert Stam, Christian Metz, além de outras figuras essenciais para a formação do campo cinematográfico brasileiro, como cineclubistas de diversos estados.

A série Imprensa, anteriormente classificada como Documentação Jornalística, diz respeito a críticas escritas por Bernardet e publicadas em diversos meios da mídia impressa. Dentre esses documentos, já está disponível no banco de dados a produção realizada para o Suplemento Literário do Estado de S. Paulo no fim dos anos 50 e início dos 60. Destaque para críticas que abordam filmes exibidos pela Cinemateca Brasileira e para Circunvoluções, texto sobre o filme A doce vida (1960), de Federico Fellini que, de acordo com o titular, foi um marco em sua carreira pois depois de publicá-la percebeu que apesar de muitos a lerem, uma pessoa não o faria: era Fellini. Decidiu aí focar no debate sobre o cinema brasileiro, no qual teria a possibilidade de intervir de fato. Também foram descritas as críticas diárias sobre cinema, publicadas no jornal Última Hora até o ano de 1963.

Além dessas, encontram-se parcialmente descritas três séries: em Produção Intelectual há roteiros como o de O caso dos irmãos Naves (1967), de Luiz Sergio Person, e de Através da Janela (2000), de Tata Amaral; um trabalho bibliográfico sobre Paulo Emílio Sales Gomes; anotações e preparações de aulas e cursos (como aqueles desenvolvidos junto à Universidade de Brasília e à Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo); preparações de textos que se tornaram livros e cadernos com anotações sobre viagens para eventos e filmagens. Em Textos de Terceiros estão presentes trabalhos de alunos e dossiês temáticos, enquanto na série Materiais de Pesquisa há documentos que investigam, por exemplo, o cinema nazista, a Guerra do Contestado e o cinema documentário.

Para consultas ao Arquivo Jean-Claude Bernardet, clique aqui.