Centro de Documentação inaugura nova área técnica

Desde sua transferência para as instalações do antigo Matadouro Municipal de São Paulo, nos anos de 1990, a Cinemateca Brasileira vem estabelecendo medidas para implantar áreas com condições técnicas que atendam às especificidades dos diferentes tipos de suporte que integram o seu acervo.

Em fevereiro de 2016, é inaugurado o Laboratório de conservação de documentos não fílmicos (livros, roteiros, manuscritos, fotografias, correspondência, etc.) integrantes do acervo do Centro de Documentação e Pesquisa. O projeto, iniciado em 2012, previa a configuração de um espaço técnico específico, com mobiliários e equipamentos adequados para a realização de atividades de conservação preventiva e corretiva, sobretudo, de suportes em papel. Trata-se de uma conquista do Centro de Documentação, que proporciona uma sensível ampliação do tratamento técnico do acervo bibliográfico e arquivístico, o que repercute diretamente na melhoria do atendimento aos consulentes, além de viabilizar o acesso dos documentos pelas futuras gerações.

Ao longo deste ano, foram executadas ações de conservação em diferentes arquivos e coleções, com destaque para os arquivos Norma Bengell e Jean-Claude Bernardet, cujos documentos se constituem em importantes fontes para a pesquisa sobre o cinema brasileiro.